Aproveitem o fim de semana com essa receita maravilhosa!

 

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 colher de sopa de margarina sem sal
  • 7 colheres rasas das de sopa de Nescau ou 4 colheres de sopa de chocolate em pó
  • chocolate granulado para fazer bolinhas

Modo de Preparo

  1. Coloque em uma panela funda o leite condensado, a margarina e o chocolate em pó
  2. Cozinhe em fogo médio e mexa sem parar com uma colher de pau
  3. Cozinhe até que o brigadeiro comece a desgrudar da panela
  4. Deixe esfriar bem, então unte as mãos com margarina, faça as bolinhas e envolva-as em chocolate granulado
  5. As forminhas você encontra em qualquer supermercadoimagesCALEHJGG

 

Poema de história: Não esquecer Calabar

Domingos Fernandes Calabar
Pernambucano mulato
Sua história é dividida em vários atos
Julgado pelas suas ações
Mas olhe com atenção
A história sempre tem dois lados

Uma figura talvez nobre,
talvez pobre
A quem querem mascarar
E se ninguém o conhecer,
Como sua historia irá ficar?

Nas escolas é esquecido
Pela luta não ter vencido
E por João Vieira substituído
Um senhor de engenho declarado (herói)
No início, escravos capturou
Mas depois, pro lado vitorioso passou

Evaldo diversificado
Encara que tudo tem uma importância
Mostrando com relevância
O que havia sido mascarado
Mathias de Albuquerque, a cara da resistência
Matou Calabar para provar sua própria essência

O Exército se acha corajoso e bravo
com honra e determinação,
Defendem seu espaço
O ex-escravo Dias e o indígena aldeado Camarão
Como tipos ideais, merecem uma recordação

Traidor, traído isso o tempo ficou de mostrar.
Mas não mostrou, oh tempo, tempo que ficou de
guiar
Um cantor e um autor que com rima e melodia
Foram responsáveis por sua vida mudar

Uma discussão sobre traição em meio à
repressão
Que representa a contradição do certo ou errado
em forma de canção

Mas o que é traição, afinal?
Negar seu próprio povo
Se apaixonar por outro
Mostrar seus ideais
Ter os meios justificados pelos finais

Devido a traição,
Calabar não tem perdão
Por mudar sua lealdade
Buscando uma liberdade
Não entendida pela sociedade

É uma imagem abstrata que penetra
Mas não se mostra
está sempre presente
Numa história atraente
Em que se busca a verdade evidente
De um ser traidor ou inocente

Em terra que todos traem
Por ganância ou ideais
o povo que fica calado
Mas quem está errado?

Uma mulher indecisa que trai seu amor
Uma mulher da vida que critica sem pudor
Um religioso colecionador de bandeiras
Ou um soldado que enlouquece a sua maneira

Quem perdeu é traidor
Quem ganhou é herói
Mas são todos traidores
De uma história que se constrói